PROGRAMAÇÃO

O XII Festival da Cultura Japonesa de Salvador – XXVII Bon Odori traz artistas da Bahia, Paraná, São Paulo e diretamente do Japão.

O evento, que agora tem mais um dia de programação, apresenta a cantora japonesa Mariko Nakahira e o beatboxer e multivocalista, REATMO, premiado no Beatbox Battle Championship, nos Estados Unidos.

Em apresentação inédita no dia 25, o YUUGEN GROUP (traduzido como “a beleza oculta das coisas”) reconta passagens da história da imigração japonesa no Brasil, através do canto e da dança.  Já o Grupo Kagura do Brasil traz o espetáculo “Yamata no Oroti”, no qual um príncipe e uma serpente gigante protagonizam uma história de aventuras, lutas e sagacidade. 

O Grupo Wado, conhecido do público de Salvador, traz os tambores orientais e um repertório percussivo criado exclusivamente para o evento. A dança, elemento fundamental da cultura japonesa, é apresentada pelo premiado Grupo Sansey (Londrina – PR), com a beleza do Yosakoi Soran (dança) e do matsuri dance (movimento pop).

A beleza da dança mais tradicional, o Odori, pode ser apreciada com o grupo da Escola de Bailado Hanayagui Kinryu, enquanto o Miss Nikkey do Brasil elege a representante da Bahia para a etapa nacional do concurso.

O festival também terá a presença dos mágicos paulistas Edson e Kevin Iwassaki, com um show especial de ilusionismo. Já o Desfile Cosplay reúne referências da cultura pop em performances exclusivas.

As tradições culturais são mantidas de geração a geração, por isso o Festival traz todo o encanto da arte dos artistas mirins, da Escola de Língua Japonesa de Salvador e a vitalidade dos praticantes da ginástica Kenko Taisso.

Os espaços culturais e Espaço Criança preparam uma programação especial de oficinas, como as de tradicionais pipas e papagaios, conduzidas por Ken Yamazato, de origami (arte de dobrar papel) e shodô (caligrafia japonesa).

Uma das maiores riquezas da Imigração Japonesa no Brasil são os legados culturais e artísticos, que podem ser apreciados durante o evento. O Festival reuniu uma equipe de grandes artistas para imergir o público no universo da arte japonesa:

Naomi Uezu traz a delicadeza do Kirigami (a arte de cortar papel), Thaís Kato, com a arte do Origami em tecido, Mi Oshiro, com a arte Oshi-ê (técnica de sobreposição de desenhos com efeito tridimensional), Angélica Sati Kobayashi, com o Oshibana (arte de prensar e desidratar plantas), e Suely Shiba, que apresenta o Sumiê (tradicional pintura japonesa zen).

O Festival apresenta uma experiência imersiva única, para que o público se sinta o mais próximo possível do Japão. As exposições culturais dialogam com o público por meio de painéis e objetos que simbolizam as raízes nipônicas.

A Artes Marciais Japonesas tem um lugar especial no Festival. No Palco Natsu, diversas modalidades podem ser conhecidas e praticadas pelo público, juntamente com os mestres de sumô, aikidô, judô, karatê, kendô, Kyudo e Iadô.

Ao entardecer, o Festival reverencia os antepassados, em gesto de gratidão expressos no “Bon Odori” (dança do O Bon), uma congregação de paz e união entre os povos. Sob as lanternas japonesas e o ritmo próprio cadenciado pelos tambores japoneses (taikô), os participantes fazem a dança circular, uma das tradições folclóricas mais aguardadas do verão japonês.

Fechar Menu